3 de maio de 2008

Desejo Café

Ela estava na mesa marrom, só ela e uma xícara de café preto, seu cheiro tomava conta do ambiente, mais tarde saberia que ele é tão irresistível quanto seu gosto, com a mão sobre a cintura ela parecia me olhar de lado, vestia uma roupa de bolinhas que me atrapalhavam a visão, parecia algo vertigo querendo me sugar.

Fui até a cozinha e peguei uma xícara para mim, me sentei ao lado dela e logo fui puxando um papo, a chuva lá fora me fazia ainda mais inspirador nas palavras, seus olhos pareciam saltar com meus assopros na xícara e palavras adocicadas, já que ela sempre gostou de café muito doce.

Quando encontrar na pia uma xícara com uma gosma branca, feita de puro açúcar, tenha certeza que era dela, as minhas sempre estavam vazias sem desperdiçar uma gota do pretinho.

A fumaça me faz ficar com inspiração, nessas horas meus papéis são a minha fiel companhia, já que a dela raramente me faz, ela ficou ali tomando café, sem parecer me dar bola, mais eu estava satisfeito tendo o café sobre a mesa e papéis de sobra.

Pensei em escrever sobre a chuva, mais já havia publicado isso antes, talvez poderia escrever sobre um vídeo, a música, mais meus papéis queriam ver desejo, como o que eu sentia por ela.

Os raios se mostravam presentes, pareciam querer me chamar a atenção, não dei importância, liguei a luminária e tomei um gole de café, ela levantou colocou a xícara sobre a minha mesa, e eu sabendo que ela ja iria deitar e que a tarefa de lava-las seria minha.

Foi nesse momento que percebi o que os raios queriam me mostrar.

A Luminária deu a luz ideal, e o desenho me fez escrever linhas de um desejo que não deveria passar daquela noite, mesmo que ela não me desse importância alguma.

2 comentários:

disse...

hahahaha... bela forma de se inspirar!

Tiago Clezar disse...

Ma-

Gostou Má? hehe
Que bom, espero que venham amis formas de inspiração, cada vez mais criativas.
Parabéns pelo seu BLOG.
Beijos