24 de janeiro de 2008

Histórico de uma paixão

Sou um amante da chuva, seja ela fininha,ou grandiosa e até mesmo a furiosa.

Subo devagar como se fosse uma alma.

Quando encosto no algodão me junto à multidão.

Se esta muito cheia é hora de soltar.

Vou caindo com toda velocidade que você possa imaginar parecendo carro de F1.

Mais um "F1" sem poluição.

Quando eu bato no chão, viro de novo multidão.

A montanha é meu ponto preferido para escorregar esbanjando sorriso.

Gosto de cumprimentar a todas as árvores e as plantas.

Quando os escorrega termina me resta deitar sobre o rio que vai me guiar.

No Rio a falação é harmoniosa com sons que me lembram aurora, lá só se fala uma coisa "a hora que vamos desemboscar".

Falam que o mar é imenso e que vamos ter que mudar, ficar salgada é a regra de lá.

Mais do doce pro sal não gosto de pensar, fico imaginando os navios que vou molhar os golfinhos que vou me encostar e as pedras que vou acariciar.

Quando eu chegar à beira da praia e na areia ser sugada eu irei avisar para ser desenterrada.

Isso se a minha alma já não estiver evaporada para mais uma vez lá de cima eu escolher nas montanhas descer.

Autor: Tiago Clezar
(Foto divulgação, inspirada no livro: "A menina que roubava livros-Markus Zusak")

3 comentários:

Família Feliz disse...

Lindo blog, bom gosto à flor da pele!
"Devorei" tudo...amei!
Vou voltar sempre, com certeza.
Obrigada pela visita, foi um prazer!

rαphα - disse...

olá !!

nossa, blog muiito perfeito !!


ameii os textos !

passa lá no meu também, ainda está novo, mas "tem futuro" kk!

;D

Thiago dos Reis disse...

Chuva, chuva... bela analogia.. a visão da água sobre a chuva...

Particularmente adoro chuva. Gosto do clima e não tenho medo de me molhar.

Afinal, podemos ser doces, mas não somos feitos de açucar!