2 de novembro de 2008

Um Fato



  • Eis um pequeno fato:

Você vai morrer!

Acredite em mim, sou fiel nas palavras, não tente impedir nada, e não tenha medo.

Não é só você que vai morrer, eu também vou, e não tenhamos medo deste futuro certo, mais do que certo eu diria.

Mais se vamos morrer porque por vezes a vida nos dá motivos para querermos ficar vivo?
Ninguém pediu para nascer, pediu?
Quando eu me dei por conta já estava ali feito, um homem: Lindo, inteligente, romântico, atencioso e modesto claro.

O que faz de mim e você acreditar que a vida vale à pena? E se ela possui um preço, que valor tem?
A curiosidade nos move, os nossos medos e anseios nos movem.

As coisas mais simples como um pedaço de madeira pregado com quatro pontas e posto a girar, ganhando o nome de moinho, se deixa embalar pelo simples fato de existir um ar que o empurra, por mais que ele não sinta este mesmo ar passando sobre ele, em seus giros mais rápidos ou em dias de calmaria.

"Enquanto existir ar nos meus pulmões eu vou te amar" Sábias palavras de Jack Dawson, o ar nos faz viver, o mesmo ar que poluímos é que nos faz ver a existência, existência está que por algum motivo e tempo eu fiz parte, parte dela, da sua vida, e você da minha, Chaplin disse:
" Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha, é por que cada pessoa é única e nenhuma substitui, a outra. Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha,e não nos deixa só,por que deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela, responsabilidade da vida é a prova de que as pessoas não se encontram por acaso. "



4 comentários:

Carla Sofia disse...

Boa noite Tiago,
como disse Heidegger: «o ser-no-mundo descobre-se a si mesmo já numa possibilidade fáctica do ser.» Traduzindo, o ser humano quando começa a questionar a sua existência reconhece que já se encontra na existência, determinada por múltiplos factores que fazem a sua vida ser diferente de todas as outras. Quanto à morte,é realmente uma verdade. somos sempre seres para a morte e talvez porque sabemos que vamos morrer aproveitamos o tempo que temos. É a morte que dá sentido à vida, pois uma vida sem morte não seria vida.
beijo

disse...

Essa é nossa única certeza né?
A vida às vezes me dá motivos para querer ficar, mas dá tb para não querer... acho tão duro isso!

paula barros disse...

Um dia desses estava a pensar nessa questão das pessoas passarem em nossas vida e me lembrando do mundo virtual. Como pessoas de lugares distantes, idades bastante diferentes, pessoas que nunca teríamos contato, se entrelaçam em nossas vidas. E como aprendo e são úteis para o meu desenvolvimento espiritual e emocional.

Porém o que me intriga é porque deixamos que algumas pessoas permaneçam mais tempo.

Gostei muito do seu post e de poder refletir.

abraços

Tiago disse...

---RESPOSTAS---

Carla Sofia:

Belas palavras, quanto ao "reconhece que já se encontra na existência" Sim, já me reconheço agora só falta saber qual o meu papel nesta existência.
Se descobrir me conte.

Obrigado pela visita; quer um cafezinho?

Má:
São fatores, momentos, indagação que nos fazem perceber aos poucos que papel é nosso neste espetáculo.

Paula:

Não ver você nos comentários me deixaria muito triste, você é a leitora fiel do Forrest, sempre tem palavras bonitas, valiosas, que sempre me dão ânimo de voltar aqui para escrever.

Obrigado